FORTE CHUVA LEVANTA ASFALTO NA COMUNIDADE DO BARATA (RJ)

FORTE CHUVA LEVANTA ASFALTO NA COMUNIDADE DO BARATA (RJ)

Featured Video Play Icon

STORYLINE

Fonte: Nymue de Medeiros, Yuri da Cunha, Mangel Newscast, Essentia Comunicação.

A tempestade da madrugada do dia 1º de março de 2020, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, desabrigou centenas de famílias. Parte delas perdeu tudo o que tinha. Um dos bairros mais afetados foi Realengo, que registrou acúmulo de chuva de quase 300mm, equivalente a 300 litros de água num recipiente de apenas um metro quadrado. O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) informou que choveu 152mma mais do que era esperado.
Houve deslizamentos de terra na maior floresta urbana do mundo, no Parque Estadual da Pedra Branca, provocando uma forte tromba d’água na cachoeira da região (queda do Rio Piraquara), fazendo com que o Rio Catarino mais que dobrasse de tamanho. Na Comunidade do Barata, nas proximidades da Rua Ocaibi, os estragos foram grandes, casas foram seriamente atingidas e a fina camada de asfalto cedeu tornando a pista intransitável. O nível da água subiu cerca de dois metros.



SHOTLIST

Imagens gravadas na comunidade do Barata, Realengo, Rio de Janeiro, em março de 2020

00:00– Porteiro Ivaldo Da Silva Melo sentado na portaria

00:13– Placa sinalizando arrecadação de doações para as famílias mais atingidas pela chuva.

Condomínio Limites está recebendo doações de alimentos não perecíveis para os moradores do bairro do Barata afetados pelas enchentes da madrugada do último sábado para domingo. Por favor, entregar na portaria. Gratos. A direção”

00:23– SONORA IVALDO DA SILVA MELO: “Encheu tudo…entrou água dentro da minha casa. Eu estou aqui há 19 anos e nunca vi assim, é a primeira vez. Entrou água dentro da portaria aqui que nunca… só chegou nesse batente aqui, e foi água lá dentro da cozinha, entrou água dentro da geladeira e o caramba… foi um sufoco. Foi muita água mesmo. Em 19 anos que eu estou aqui, nunca vi um acontecimento desse”

00:51– Trecho poluído do Rio Catarino

OFF SONORA IVALDO DA SILVA MELO: “Quando alaga a água entra…

00:58– SONORA IVALDO DA SILVA MELO “…e chega até o meio fio. Quando a chuva estia ela se esvazia rápido, mas dessa vez foi brabo, dessa vez choveu pra caramba e foi um sufoco”

01:14– Morro com marcas de deslizamento de terra

01:26– Entrada de uma casa com parede destruída. Vista para o Rio Catarino ao lado do imóvel

01:41– Lixeiros colocam móvel em caminhão

OFF SONORA WILSON MOURA: “Foi feita uma reserva…”

01:53– SONORA WILSON MOURA: “…não sei como é que funciona essa reserva, e essa reserva estourou conforme veio essa água…tromba d’água que se fala né? O morro, vocês estão vendo aí que o nosso companheiro gravou… 

02:03– Imagem do morro com rachaduras

OFF SONORA WILSON MOURA: “…que foram várias rachaduras, não foi uma assim, isolada, foram várias rachaduras…”

02:09– SONORA WILSON MOURA “…e lá atrás, deslizou pedra, deslizou um monte de coisa, você pode ver vários carros de várias pessoas aí, entendeu? E fica meu recado, o negócio é viver a vida e esquentar o resto (sic), deixa o resto pra gente…”

02:20– Imagens do interior da casa vizinha

SONORA WILSON MOURA: “Deus só deu uma pra gente, pra gente cuidar da nossa vida, se ele tivesse dado duas eu tinha jogado essa fora”

02:35– Wilson Moura limpa um dos cômodos atingidos da sua casa

02:49– Morador mostra morro e marcas de deslizamento

SONORA DENILSON PENUDO: “Se você conseguir ver o morro daqui…as falhas que ficaram no morro… você vê lá?

OFF DENILSON PENUDO: “…Do lado de cá, então, que você vê melhor ainda do que do lado de lá… porque foi muita água e isso tudo desceu. Essa parte toda de barro com água ali, desceu toda e o único lugar pra passar era aqui mesmo na rua”

03:13– Morador explica localização da rua

SONORA DENILSON PENUDO: “Antigamente era um rio. Isso aqui era um rio. A quantidade de água que vem não dá vazão na tubulação daí ela vem por cima do asfalto”

03:23 –SONORA DENILSON PENUDO: “Toda a parte onde cortou, a água levou. E o asfalto foi levantado igual papel do chão…estava todo cortado”

03:31– Voluntários trabalhando com doações recebidas pela igreja

OFF LUANA FERNANDES: “A gente não imaginava o quanto as pessoas iriam doar. A União faz a força.”

03:37 –SONORA LUANA FERNANDES: “O Barata agora que ficou conhecido por conta dessa catástrofe, mas fora isso não tinha visto isso aqui. Vi em outras localidades, mas eu acredito que tudo é um propósito de Deus.”

03:48– SONORA DENILSON PENUDO: “Tem vinte e três anos que eu moro aqui e é a segunda enchente e essa foi a pior, essa de levar carro foi a pior…”

03:53– Carros destruídos

SONORA DENILSON PENUDO “…e a outra não chegou a levar carro não, essa foi braba”

04:04– Morador remove plantas do pneu do seu carro

04:17– Morador limpa motor do seu carro

04:33–Carros destruídos pela enchente e chão com lama

04:47– “Foi uma coisa incrível. Foi uma coisa que…ninguém aqui nessa comunidade esperava isso. Aqui me quebrou, perdemos…agora perdemos tudo, né? A verdade é que perdemos tudo, e como vocês estão vendo aí na matéria que nosso amigo está fazendo, nós perdemos tudo e agora realmente não temos nada em pauta, não temos nada nada nada. Temos sim, não vou dizer pra vocês que perdi ou deixei de ganhar, ganhei sim, a minha vida. Porque minha filha e minha esposa também foram pela correnteza e graças a Deus foram amparadas ali na frente por algumas coisas que estavam alí, que seriam entulhos. Uma geladeira, garrafa de cinco litros de água, fogão, botijão de gás que veio tudo a tona e segurou elas, e ela veio se arrastando pelo muro. Até que nós chegamos a conclusão, acertamos, de subir até o telhado pra sair lá na outra rua, através dos telhados, entendeu? E é isso o que eu tenho a dizer. Eu só tenho que agradecer a Deus por estar vivo, e nada mais eu agradeço. Daqui pra frente hoje na minha vida é só felicidade.”

05:57– Armário destruído

06:08 – Violão, foto de criança e utensílios de higiene pessoal sujos na varanda

06:19– Sofás, geladeira, máquina de lavar e fogão amontoados na sala

06:36– panelas, gavetas e roupas sujas na área de serviço

06:51– Boneco do ET em meio aos destroços

07:05– Foto de família em cima de móvel destruído e sujo